Por: Dinaldo Silva/ BNews Por: Yasmim Barreto e Márcia Guimarães

O secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, afirmou que, por uma decisão do governo federal, apenas as capitais brasileiras receberão, inicialmente, as primeiras 500 mil doses da vacina da Pfizer. Isso porque será necessário testar a estrutura da nova cadeia de refrigeração, que é diferente da utilizada com os demais imunizantes.

“Se tudo correr bem, a previsão é que a próxima remessa possa ser distribuída para outras cidades que possuam refrigeradores de -80, como é o caso de nove cidade aqui da Bahia que nós já instalamos ultracongeladores”, explicou o secretário nesta segunda-feira (3), durante a chegada das doses da vacina da Pfizer, na sede do Graer, em Salvador.

Os ultracongeladores estão localizados em Feira de Santana (5), Juazeiro (3), Jacobina (2), Ilhéus (4), Teixeira de Freitas (2), Barreiras (3), Alagoinhas (1), Vitória da Conquista (5) e na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (5), em Simões Filho.

A previsão é que, em maio, o Ministério da Saúde receba 1 milhão de doses do imunizante e, a partir de junho, um quantitativo ainda maior da vacina da Pfizer, que será distribuída para todos os estados brasileiros.

“Essa vacina, na verdade, tem a maior eficácia protetora do mundo atualmente. Até com única dose, já garante 80% de proteção, mas não pode ser utilizada em pessoas com alergias muito fortes, chamadas atópicas, que tem alergias a medicamentos, alergias múltiplas a frutos do mar, reações severas alérgicas, são pessoas que não deveriam fazer uso dessa vacina”, acrescentou Vilas-Boas.