Não será dessa vez que os defensores dos dias mais longos comemorarão. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse nesta sexta-feira, 17, que “não há necessidade do retorno do horário de verão em 2021”.

A afirmação veio pouco antes de seu embarque para a 65ª Conferência-Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em Viena. Após ter solicitado novos estudos sobre o tema, Bento entendeu que o problema da crise hídrica “é uma questão de economia energética mesmo” e que cabe ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) definir se deve voltar atrás e retomar o regime que extinguiu em 2019.

“A contribuição do horário de verão é limitada, tendo em vista que, nos últimos anos, houve mudanças no hábito de consumo de energia da população, deslocando o maior consumo diário de energia para o período diurno”, pontuou o Ministério, em nota.

Bento ainda comentou que o Ministério não identificou que a volta do horário de verão seja capaz de reverter crise hídrica.