O presidente da Câmara, Fernando Torres, acompanhado de um grupo de vereadores, com o vice-prefeito Fernando de Fabinho e representantes dos vendedores, se reuniram nesta quinta-feira (18), visando um entendimento em relação à crise instalada no Shopping Popular. O encontro foi definido após um telefonema de Fabinho ao dirigente do Poder Legislativo.

Por isso, a Câmara decidiu não votar nesta quinta um projeto de autoria do vereador Edvaldo Lima que propõe autorizar o Executivo a suspender o contrato com o consórcio empresarial gestor do equipamento e suspender a cobrança de aluguel e taxas no local, até que os trabalhadores reúnam condições de honrar esses compromissos – inconstitucional, segundo avaliação da Procuradoria Geral do Município, em informação ao Protagonista.

Fernando Torres disse que uma negociação com a Prefeitura é o melhor caminho, pois uma decisão equivocada “pode ser derrubada na Justiça”. O presidente da Câmara acredita que o vice-prefeito está disposto a negociar.

Fernando garantiu convocar uma sessão extraordinária na próxima segunda-feira para apreciar a matéria.