Foto: Lucas Figueiredo / CBF

A partida entre Brasil e Argentina do dia 5 de setembro de 2021, suspensa pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), segue rendendo polêmicas. Nesta quarta-feira (26), foi revelou que o órgão sanitário enviou um ofício à Polícia Federal informando que um funcionário da Associação de Futebol Argentino falsificou declarações de saúde de quatro jogadores da Albiceleste.

O duelo era válido pela 6ª rodada das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo do Catar. A Conmebol ainda não definiu se marcará uma nova data para o compromisso.

Contudo, a Anvisa afirmou que o sistema da agência é hospedado em um serviço de nuvem da Microsoft, e o recurso que permitiria verificar tal informação foi desligado, para diminuir custos.

De qualquer forma, o funcionário da AFA Fernando Ariel foi apontado pela Anvisa como o responsável, por meio do código de acesso utilizado para preencher a declaração dos jogadores. Ariel será ouvido pela PF.